Home >> Notícias >> Itarana presente nas comemorações dos 160 anos da Imigração Pomerana no Espírito Santo

Itarana presente nas comemorações dos 160 anos da Imigração Pomerana no Espírito Santo

27/06/2019

Itarana presente nas comemorações dos 160 anos da Imigração Pomerana no Espírito Santo

Em comemoração aos 160 anos da Imigração Pomerana no Espírito Santo, foi realizada em Vitória, nesta quarta-feira (26), uma cerimônia alusiva que contou com a participação de 11 municípios capixabas, entre eles Itarana. A solenidade teve início na Praça Costa Pereira, no centro da capital, com um cortejo que seguiu até o Palácio Anchieta, sede do governo do Estado.

Descendentes participaram das comemorações ressaltando diversas características dos imigrantes pomeranos, entre elas o vestuário, as danças típicas, a música embalada pela concertina, entre outras. O evento, organizado pelo Arquivo Público do Estado (Apees) com o apoio das Prefeituras, ainda foi marcado por apresentações culturais, lançamento de livros e homenagens.

A itaranense Elza Brandt Schneider, 79 anos, moradora de Alto Santa Joana, interior de Itarana, foi homenageada, juntamente com descendentes de outros municípios, por sua dedicação aos costumes e tradições pomeranas em sua comunidade. Ela recebeu a homenagem das mãos do governador do Estado, Renato Casagrande e da vice-governadora, Jaqueline Moraes.

Itarana presente nas comemorações dos 160 anos da Imigração Pomerana no Espírito SantoA itaranense Elza Brandt Schneider, foi uma das homenageadas durante a solenidade alusiva aos 160 anos de Imigração Pomerana no Espírito Santo.

Do município de Itarana também marcaram presença no evento representantes das comunidades pomeranas, um casal integrante do Grupo de Danças Folclóricas Frau Karolin, a secretária Municipal de Educação Marcileide Stuhr e a vice-prefeita, Leonila Fioroti Galazi.

De acordo com matéria publicada pelo jornal A Gazeta no dia 13 de julho de 2014, em Itarana metade da população de 10.881 habitantes é pomerana. São cerca de 5.440 descendentes. Sobre a vinda dos imigrantes pomeranos para o município podemos destacar um trecho da Lei Orgânica Municipal nº 676/2002 de 29/11/2002:

 “A família Schultz, segundo relatos históricos, foi a primeira a chegar, formando logo uma comunidade de luteranos. A expressão da comunidade formada pelos luteranos ainda hoje conserva os valores e tradições como: a língua, a dança, a culinária e tantos outros que efetivamente deram importante participação no desenvolvimento do Município. Com a chegada dos imigrantes pomeranos, inicia-se também a pluralidade religiosa já que estes trouxeram consigo uma nova religião: a luterana, fundada por Martinho Lutero. Além dos Schultz, outros nomes como Uhlig, Mielke, Brandt e Berger, fazem parte dos anais históricos do Município.”

No Espírito Santo, o Dia Estadual do Imigrante Pomerano é comemorado em 28 de junho.

Itarana presente nas comemorações dos 160 anos da Imigração Pomerana no Espírito Santo Itaranenses participaram da encenação do Casamento Pomerano, no Salão São Tiago, no Palácio Anchieta.

Língua Pomerana é reconhecida como idioma secundário em Itarana

Como forma de fortalecer, salvaguardar e preservar a cultura pomerana no município de Itarana, a Prefeitura Municipal co-oficializou a língua pomerana em 2016, reconhecendo-a como o idioma secundário e complementar do município, através da Lei Municipal 1.195/2016.

A partir desta Lei, a Secretaria Municipal de Educação de Itarana (Semed) incluiu aulas de pomerano na organização curricular das Escolas do Campo localizadas em comunidades pomeranas no interior do município de Itarana.

Pomeranos no Espírito Santo*

O grupo com os primeiros imigrantes pomeranos a chegarem ao Estado era formado por 27 famílias num total de 117 pessoas. Eles eram agricultores luteranos que partiram de Hamburgo, na Alemanha, no navio Eleonor, em abril de 1859. O transatlântico entrou no porto do Rio de Janeiro após dois meses de viagem. Lá estava sediada a “Central de Colonização”, responsável pelos contratos e transportes.

Depois dessa breve escala na Capital do Império, seguiram viagem no barco “São Matheus” e chegaram ao Porto de Vitória no dia 28 de junho. Para alcançar os lotes coloniais, seu destino final, os imigrantes tinham que subir o rio Santa Maria em direção ao “Porto do Cachoeiro”, atual Santa Leopoldina. Até 1860 vieram outros 46 imigrantes. Porém, o maior fluxo se verifica entre os anos de 1868 a 1874. Ao todo, foram 2.223 colonos de origem pomerana que entraram no Estado.

A Pomerânia estava localizada entre a Europa e o Mar Báltico. A historiadora Cione Marta Raasch Manske, no livro “Pomeranos no Espírito Santo”, ressalta que o solo fértil, a diversidade hídrica e a localização estratégica desencadearam disputas pela posse da terra na Idade Média, deixando-a marcada por guerras, epidemias e fome. A imigração, neste contexto, mostrou-se como uma opção para a sobrevivência.

Durante um período prolongado, diferentes conflitos devastaram o local. Em 1720, o território é conquistado pela Prússia, que em 1817 institui a Província Prussiana da Pomerânia. No século XIX, conforme destaca a autora, mudanças políticas e econômicas contribuíram de forma significativa para o agravamento da situação de crise. A instabilidade social impulsionou os pomeranos a imigrarem para o Brasil, com destaque ao Espírito Santo.

* Fonte: Arquivo Público do Estado do Espírito Santo

Itarana presente nas comemorações dos 160 anos da Imigração Pomerana no Espírito Santo

Itarana presente nas comemorações dos 160 anos da Imigração Pomerana no Espírito Santo

Itarana presente nas comemorações dos 160 anos da Imigração Pomerana no Espírito Santo

Itarana presente nas comemorações dos 160 anos da Imigração Pomerana no Espírito Santo

Itarana presente nas comemorações dos 160 anos da Imigração Pomerana no Espírito Santo

Itarana presente nas comemorações dos 160 anos da Imigração Pomerana no Espírito Santo

 

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter